sábado ,18 novembro 2017
Home / Brasil / Mãe é presa após estuprar filho de 11 anos e postar vídeos na internet

Mãe é presa após estuprar filho de 11 anos e postar vídeos na internet

Um casal foi preso pelo crime de pedofilia nesta sexta-feira (20), em Curitiba, no Paraná. Segundo a Polícia Civil a mãe de 33 anos abusava sexualmente do filho de 11 anos. Os estupros eram filmados pelo padrasto da criança e publicados na internet em sites de pedofilia. Além dos dois, mais quatro pessoas foram detidas em flagrante no Estado, durante operação luz na infância.

operacao

De acordo com a polícia, o pai da vítima registou a denúncia. Os dois devem responder pelos crimes de pedofilia, estupro de vulnerável e rufanismo, pois, segundo a investigação, a mulher trabalha como garota de programa e era explorada pelo marido.

Na região um rapaz de 29 anos foi preso em Maringá. No computador dele os policiais encontraram vídeos e fotos de crianças sendo abusadas sexualmente.

Operação
A Polícia Civil do Paraná, em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), deflagrou no início da manhã desta sexta-feira (20), a operação integrada Luz na Infância.

Com o objetivo de apurar crimes de exploração sexual contra crianças, estão sendo cumpridos nove mandados de busca e apreensão nos municípios de Curitiba, Maringá e Londrina. A operação Luz na Infância l, é coordenada pela Núcleo de Combate ao Cibercrimes (Nuciber) e pelo Núcleo de Proteção a Criança e Adolescente vítimas de Crime (Nucria), com o apoio da Agência de inteligência da Polícia Civil, e conta com a participação de mais de 40 policiais destas unidades e dos Nucrias de Londrina e Maringá, do Grupo Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre), do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), e da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc).

A operação acontece em 24 estados brasileiros, para cumprir 172 mandados de busca e apreensão em 184 alvos. O número total de agentes envolvidos são 120 delegados, 609 policiais, 110 escrivães e 53 peritos.
Os alvos da operação Luz na Infância foram identificados através de um levantamento de informações pela Senasp e a Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil. Com base em informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil instaurou inquéritos policiais e representou pelas buscas e apreensões junto ao Poder Judiciário, visando apreender computadores e dispositivos informáticos onde estão armazenados os conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos.

As investigações que resultaram na operação Luz na Infância vêm sendo feitas há seis meses e resultam do aprimoramento do trabalho de inteligência de segurança pública e atuação em modelo de força tarefa, que reúne em um mesmo ambiente de trabalho policiais com expertise e capacitação na repressão aos crimes virtuais e de pedofilia. Um cenário ideal para coletar e preservar evidências criminosas, garantindo, como consequência, a identificação e posterior condenação dos criminosos pela Justiça.

A pedofilia é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma doença de transtorno da preferência sexual. Pedófilos normalmente são pessoas adultas que tem preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. O complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos.

Fonte: tnonline.uol.com.br

Você pode Gostar de:

agente

PEC que cria a polícia penal passa por mais uma sessão de discussão em 2º turno

Passou pela segunda sessão de discussão em segundo turno a Proposta de Emenda à Constituição …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *