segunda-feira ,18 dezembro 2017
Home / Artigos / UMA HISTÓRIA REAL DE UM HERÓI ANÔNIMO

UMA HISTÓRIA REAL DE UM HERÓI ANÔNIMO

A história, na qual vou narrar,   transformou completamente a vida de um agente penitenciário em sua maior prova de coragem e companheirismo que um herói pode conceder na vida. Vou chamá-lo de Biro, como é conhecido pelos amigos. A história, pós rebelião lhe deu esse nome, deve imaginar os motivos.
O agente penitenciário Biro, na época dos fatos, duas décadas atras,   era  diretor de plantão em uma unidade da Grande SP, os servidores gostavam de tê-lo como liderança pelo seu ar de justiça e união. Mantinha a disciplina na unidade, cobrava afinco respeito as regras da casa. Certo dia, uma rebelião fez 03 agentes reféns, Biro tinha acabado de sair da galeria e sai ileso, o foco dos presos era pegá-lo. Por sorte, ou acaso do destino, escapou de ser refém.
Deu ínicio as negociações para liberação dos reféns, os presos pediram apenas uma coisa, que o sr. Biro fosse trocado pelos três reféns. Eles os queriam.  Evidente, de imediato o pedido foi negado, mas fortuitamente Biro disse que iria,  pois os amigos eram agredidos e um deles a filha tinha nascido justamente naquela semana.
Biro, consentiu e caminhou para a escuridão rumo as incertezas. Eles o queriam, por ser disciplinador e trabalhar corretamente, a troca foi feita e os reféns liberados, com exceção de Biro mantido na mãos dos rebelados por 15 horas, deve ter passado momentos inimagináveis. Pós rebelião, Biro nunca mais foi o mesmo, aturdido , evitava narrar o que passou, ele já não era o Biro de antes.
Deixou o cargo. Uma decisão heroica trocada uma vida de transtornos psicológicas, aparente mudança de personalidade e uso constante de medicamentos. Um herói, salvou três vidas. Um herói anônimo. Poucos conhecem, a televisão não noticiou seu ato, o juiz não elogiou sua atitude, os direitos humanos não o visitaram, o estado não o acolheu.
Biro, na memória de seus amigos é tratado como um herói, para a sociedade um anônimo. Mas um herói de fato. O agente liberado, da filha recém-nascida,  fez uma singela homenagem à Biro, ao ter outro filho colocou o nome do herói, seu verdadeiro nome.
Quem é Biro ? Quando o vi, achei que era uma pessoa diferenciada, ledo engano, descobri o verdadeiro herói,  glorioso e benevolente Biro, fez pensar em quantos  Biro’s conhecemos na vida, muitos despercebidos. O sistema prisional é palco das maiores atrocidades, nele são forjados os maiores heróis anônimos da sociedade. Dando a vida para proteger e servir, sem nomes, conhecidos como agentes penitenciários.
Dedicado a meu amigo Biro…

Marcelo Augusto
Blogueiro

Acompanhe as notícias: www.facebook.com/blogdosagentes

Você pode Gostar de:

“O grito de silêncio dos pelegos”

No Brasil existem mais de 15 mil sindicatos, com o fim do imposto sindical estima-se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *