Home / ARQUIVOS / A primeira Penitenciaria do Mundo

A primeira Penitenciaria do Mundo

Eastern State Penitentiary em Philadelphia

Apesar da Eastern State Penitentiary em Philadelphia não ser tão famosa quanto o presídio de Alcatraz em San Francisco. Ela é uma das prisões mais antigas e históricas dos EUA. Considerada por alguns como o primeiro edifício moderno da história dos EUA. A penitenciária de Philadelphia foi construída com sistema de aquecimento, água e esgoto em cada uma de suas celas.  Numa época que nem a Casa Branca em Washington tinha eletricidade, água e esgoto encanados. E ao longo de sua abrigou alguns dos mais famosos e perigosos criminosos americanos como “Slick Willie” Sutton Al Capone.

Eastern State Penitentiary em PhiladelphiaA História desta penitenciária começa em 1787, cerca de quatro anos após o termino da Guerra Revolucionária Americana, uma época em que os Estados Unidos era um país repleto de oportunidades e desafios. E nenhuma outra cidade norte-americana sentiu toda a efervescência deste período como Philadelphia, onde delegados se reuniam no Independence Hall para elaborar o que mais tarde se tornaria a Constituição deste país.

Eastern State Penitentiary em PhiladelphiaMotivados pela deplorável situação da Prisão em Walnut Street, localizada logo atrás do Independence Hall. Onde homens e mulheres, adultos e crianças, ladrões e assassinos eram encarcerados juntos. Num antro onde doença, estupro, roubo e morte eram ocorrências comuns sob a conivência dos carcereiros que faziam pouco ou nenhum esforço em proteger os prisioneiros uns dos outros. Ao invés disso, vendiam álcool, comida e contrabando aos detentos. Não era raro ver prisioneiros morrendo de frio ou fome.

Eastern State Penitentiary em Philadelphia

 

Eastern State Penitentiary em PhiladelphiaTendo em vista as condições sub-humanas deste grupo de cidadãos. Um grupo auto-intitulado de Sociedade Philadelphia de alívio as misérias das prisões públicas, decidiu que isto não deveria continuar desta forma. E literalmente preparou o terreno para reforma do sistema prisonal não somente na Pennsylvania, mas também em todo o mundo.

Eastern State Penitentiary em PhiladelphiaNo início, na época de sua fundação, a então colônia da Pennsylvania, estava determinada a ser diferente das outras colônias estadunidenses. Seu Fundador William Penn, que desembarcou nos EUA na simpática cidadezinha de New Castle em Delaware, trouxe consigo valores religiosos protestantes para a nova colônia.

Valores esses, que além da tolerância religiosa entre outras coisas evitava que o impiedoso código penal praticado em grande parte da América do Norte Britânica fosse seguido à risca. Código este, em que a pena capital era um castigo normal de uma série de crimes comuns.

Eastern State Penitentiary em PhiladelphiaA Pennsylvania por sua vez, baseava suas penas em trabalhos forçados e multas como o tratamento para a maioria dos crimes, mantendo a pena de morte apenas para crimes hediondos como o homicídio.

Mas quando em 1718 grupos conservadores assumiram o controle da Pennsylvania, eles acabaram com este sistema e passaram a incorporar as duras normas aplicadas em outros lugares. Desta maneira, as cadeias do estado  tornaram-se depósitos humanos. Centros de detenção para os prisioneiros, à espera de alguma forma de punição física ou mesmo capital.

E foi apenas setenta anos mais tarde, que alguma coisa foi feita no intuito de tentar reformar esse “falido” código penal. Foi quando o Dr. Benjamin Rush um proeminente médico, signatário da Declaração da Independência na Philadelphia e que mais tarde ganhou o título de “pai da psiquiatria americana” por sua inovadora observações sobre as “doenças da mente.” Teve a idéia em reformar o sistema prisonal da Pennsylvania.

Após uma temporada pela Europa, Dr. Rush retornou aos EUA em 1787. E juntamente com Benjamin Franklin entre outros intelectuais americanos contemporâneos proclamam que uma mudança radical não era necessária apenas na prisão de Walnut Street em Philadelphia, mas sim em todo o mundo. Eles estavam convencidos de que o crime era uma “doença moral”, e foi assim então que sugeriu a idéia da penitenciária como “casa de arrependimento”, onde os presos pudessem meditar sobre seus crimes, remorsos através de uma experiência espiritual e desta forma passar por uma reabilitação.

As primeiras propostas de alteraçõesfeitas na Prisão de Walnut Street, foram a separação por sexo e tipos de crime. Oficinas vocacionais foram instituídas para ocupar o tempo dos prisioneiros, e muito do comportamento abusivo dos oficiais foi abolido.

Mas como tais medidas não foram ainda suficiente para minimizar o elemento criminal de uma população carcerária crescente como era a de Philadelphia. Surgiu assim a necessidade de uma penitenciária em grande escala.

Como isso era impossível acontecer nas prisões superlotadas. Começou a ser construída em 1822 a Eastern State Penitentiary. O desenho escolhido, criado pelo arquiteto britânico John Haviland, era diferente de qualquer visto antes: Com um total de sete alas e com celas individuais que irradiam a partir de um hub central. Os presos teriam suas celas individuais e um pequeno pátio de sol.

A penitenciária levou 7 anos para ser construída e em 1829 foi inaugurada. E provou ser uma maravilha tecnológica para a época. Com aquecimento central, sanitários, duchas em cada cela privada. A penitenciária de Philadelphia ostentava um luxo que nem mesmo o presidente da época Andrew Jackson poderia desfrutar na Casa Branca.

Charles Williams, um fazendeiro condenado a dois anos por roubo, foi o primeiro detento do lugar. Em 23 de Outubro de 1829, Williams foi escoltado para a prisão com uma venda sobre sua cabeça. Isso foi feito para proteger seu anonimato e uma eventual integração na sociedade após a libertação, já que ninguém iria reconhecer o rosto da prisão. Mas também serviu a outro propósito: assegurar que não haveria nenhuma chance de escapar. Uma vez que o detento não veria como era a prisão por fora, apenas o interior de sua cela individual.

objetivo era a reclusão total, tanto que a comunicação com os guardas era feita através de um orifício de alimentação pequeno. Os presos viviam em completo isolamento, apenas com uma Bíblia como sua única posse, e com tarefas como calçados e tecelagem para ocupar seu tempo ocioso.

Os reclusos além de suas celas solitárias, tinham também acesso a um pátio privado (ao qual tinha acesso 1h por dia) e durante o tempo da sua pena não podiam se comunicar com ninguém! Total silêncio era a palavra de ordem. Os guardas usavam até meias por cima das botas para abafar o som dos passos.

Políticos e delegados de todo o mundo foram para Philadelphia para estudar o famoso sistema Prisional da Pennsylvania. Um deles elogiando o conceito, escreveu sobre a sua viagem de 1831: “Pode haver uma combinação mais poderosa para a reforma que a solidão?… leva prisioneiro através da reflexão de remorso, por meio da religião de esperança, torna-trabalhador por … ociosidade?

 

Ao todo, mais de 300 prisões em toda a Europa, América do Sul, Rússia, China e Japão se basearam no modelo da Eastern State Penitentiary. Mas alguns não estavam tão convencidos do método. Charles Dickens, depois de sua visita em 1842, disse que o isolamento era uma forma de os detentos premeditarem sua “vingança”no futuro.

A partir de 1913, o modelo teve que ser abandonado devido à falta de espaço. O sistema de isolamento passou a ser impossível de se manter e entrou em colapso. E, assim como a prisão de Walnut Street, a Eastern State Penitentiary foi condenada pelo rápido crescimento da população carcerária da Pennsylvania

Presos passaram então a compartilhar celas, trabalhar juntos e, até mesmo jogar em esportes organizados. Originalmente concebida para armazenar cerca de 300 prisioneiros, na década de 1930 abrigava cerca de 2.000. Mais e mais celas foram construídas no decorrer do tempo, muitas delas abaixo do solo, sem janelas, luz ou esgoto. Eventualmente, a solidão não era a redenção, mas sim o castigo.

O local além de uma capela passou a abrigar também uma sinagoga. Inclusive nesta parte da visita descobrimos que em 1924 um labrador preto foi condenado a prisão perpetua nesta penitenciária acusado de matar o gato da esposa do governador da Pennsylvania.

Na década de 1960, com o sistema penitenciário estadual desmoronando, os princípios corregionacionais já tinham sido abandonados havia muito tempo e a prisão estava superlotada e não demorou muito para algumas rebeliões despontarem. Todas controladas com força pela polícia do estado.

Uma coisa que me chamou a atenção foram as cerca de 100 tentativas de fuga na história desta penitenciária. Apenas um destes detentos conseguiu escapar sem ser recapturado.

Em 1971, a Eastern State Penitentiary foi oficialmente fechada pelo estado da Pennsylvania. Ao longo dos seus 142 anos de existência, a penitenciária abrigou cerca de 75.000 presos, incluindo o famoso gangster Al Capone que além da fama, foi um dos únicos com certas regalias, incluindo mobília de luxo, ‘melhor’ localização e ‘serviços’.

Declarado um marco histórico nacional em 1965, a prisão foi aberta como um local histórico em 1994. Hoje nós turistas podemos caminhar sob as abododas e clarabóias do edifício em estilo neo-gótico, que uma vez que representou as ambições morais dos pais fundadores da América.

Hoje, a prisão encontra-se num estado controlado de ruína o que torna o espaço ainda mais assustador. É objeto de estudo por parte de muitos historiadores, é palco de intervenções artísticas e cenário de séries e filmes. Mas aberta aos turistas e consegue transmitir um pouco do que foi a vida dentro destes muros durante o seu mais de quase 1 século e meio de funcionamento.Apesar de cobrar a entrada, o lugar é realmente muito peculiar e tem um audio tour muito interessante, com relatos de guardas, médicos e reclusos que por lá passaram e relatam como era a vida dentro deste lugar.Embora visitar um lugar desses possa parecer esquisito, eu acho extremamente importante conhecer a história para se aprender com ela. É conhecendo um lugar assim ou visitando um campo de concentração que passamos de fato entender e aprender com o passado. Este é um dos mais interessantes monumentos para se visitar na cidade berço dos EUA, talvez porque aquelas paredes sem reboco ainda transpirem a história recente do lugar.

Eastern State Penitentiary em Philadelphia

Fonte: www.fotosedestinos.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *